quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

CONTO DE NATAL

.
RABISCOS DE NOVOS NATAIS
.
.
.
.
Todos os dias se levantava à mesma hora. Deixava-se envolver pelo jacto de água fria, fazia a barba, preparava um café instantâneo e comia uma fatia de pão barrada com planta. Depois, cuidadosamente, pegava nos anúncios de jornal, já devidamente sublinhados, e mergulhava no purgatório, quantas vezes inferno, do lado negro da vida.
O seu currículo era ele próprio, o parco dinheiro não era NOS nem MEO, era seu. Medido ao cêntimo, diga-se, habituado que estava ao senhor Negaleva. Mas insistia.
Por mais que se esforçasse, por mais que sorrisse, a filosofia Negaleva parecia a verdade suprema, tatuada nos mil rostos da urbe, sonâmbulos sem qualquer causa, a não ser a sobrevivência. E, quase sem se dar conta, começou a soçobrar, a render-se a evidências, prescritas em receitas, por quem vive para lá do muro. A culpa era sua, diziam, e começava a acreditar.
Num fim de tarde, já quase sem fôlego, refugiou-se nas escadas dum qualquer centro comercial. Não via nada, não ouvia, apenas lhe batia à porta o desespero, a vontade de desistir. Ainda tentou esbracejar, invocando as palavras de Torga...
De seguro,
Posso apenas dizer que havia um muro
E que foi contra ele que arremeti
A vida inteira.
Não, nunca o contornei.
Nunca tentei
Ultrapassá-lo de qualquer maneira.
A honra era lutar
Sem esperança de vencer.
E lutei ferozmente noite e dia,
Apesar de saber
Que quanto mais lutava mais perdia
E mais funda sentia
A dor de me perder.
...mas a dor era demasiado funda, a dignidade esvaía-se.
De repente, rompendo as densas camadas de nevoeiro que o envolviam, uma voz delicada, despida de artifícios, fez-se ouvir:
- Mãe, aquele senhor parece perdido. Não vês?
As palavras podem ter múltiplas facetas, mil e um rostos, mas naquele momento, para ele, eram as palavras certas. Levantou-se, sorriu para o miúdo e piscou-lhe o olho. Depois, com gestos cuidados, sacudiu o pó das calças, ajeitou o casaco e seguiu. Tal como dizia o poeta, a honra era lutar, mesmo com pouca esperança de vencer.
.
Agostinho Craveiro
.
.

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

PARABÉNS, PROF.ª JÚLIA!

.
Este não era, decididadamente, para ser o último post de 2014, mas circunstâncias agradáveis assim o ditaram. Mas passemos a explicar. A prof.ª Júlia fez anos no domingo e, sabedores do facto, os encarregados de educação dos seus alunos organizaram-se e resolveram fazer-lhe uma surpresa, recheada de miminhos, com lugar reservado para ontem, dia de entrega das avaliações, a fim de lhe testemunharem o seu apreço pelo trabalho que está a realizar com os seus filhos. Mas deixamo-vos com as palavras deixadas, ontem à noite, por um encarregado de educação na caixa de comentários do nosso blogue, palavras essas que, pelo seu significado, deram em post.
.
.
"Boa noite para todos.
Hoje na escola EB1 de Aldeia de Joanes aconteceu o que bem se pode designar por uma "segunda" festa de Natal.
Com efeito, hoje, na escola EB1 de Aldeia de Joanes, aconteceu mais um daqueles dias que a nível escolar ficará para a HISTÓRIA, "patrocinado" pelos alunos do 3º ano e por muitas pessoas que prestaram a sua ajuda para a realização da festa de aniversário da professora Júlia Bento.
HÁ POUCAS PESSOAS NO MUNDO CAPAZES DE MERECER O QUE HOJE SE PASSOU NA ESCOLA DA ALDEIA. TODOS TIVEMOS A CERTEZA QUE A PROFESSORA JÚLIA BENTO É REALMENTE UMA DESSAS PESSOAS. E perante tal convicção surgiu "do nada" uma enorme dinâmica humana na qual tantas pessoas ajudaram para que neste dia fosse possível acontecer algo de ESPECIAL, DIFERENTE e INESQUECIVEL.
Nunca ninguém poderá ficar/ser indiferente face ao que a professora Júlia faz por esta escola e pelas suas CRIANÇAS. E todos tivemos a oportunidade de ver que a professora Júlia não passou incólume aos momentos que hoje aconteceram na escola. E CERTAMENTE QUE COM AQUELE BRILHO NOS OLHOS, ESTA FOI UMA BONITA FESTA DE ANIVERSÁRIO MAIS DO QUE MERECIDA PARA A PROFESSORA JÚLIA.
Mais uma vez lhe desejo MUITOS PARABÉNS e tenho a certeza que hoje aconteceu na escola EB1 de Aldeia de Joanes um dia INTEIRAMENTE ...........JUSTO. PESSOAS COMO VOCÊ, MERECEM REALMENTE TUDO DE BOM, O QUE A VIDA TEM PARA LHE OFERECER. E no final deste dia certamente ficam em TODOS nós muitas memórias e a ..........saudade.
E para terminar fica o que de melhor se pode desejar a alguém: SEJA FELIZ!"
 .
 .
Como se vê, foi um momento emotivo e de grande significado para ambas as partes.
Parabéns à prof.ª Júlia, parabéns aos pais/encarregados de educação!
.
.

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

FELIZ NATAL!

.
Os alunos, professores e assistentes operacionais da Escola EB1 Aldeia de Joanes desejam, a toda a comunidade em geral, um Feliz e Renovado Natal e um Ano Novo pleno de saúde e esperança.
..
video
.
.

A EXPOSIÇÃO DE ÁRVORES DE NATAL JÁ ESTÁ NA ADCRAJ

.
Após um período de exposição na sede do Agrupamento de Escolas Gardunha e Xisto, onde foram apreciadas por centenas de pessoas, as miniaturas de árvores de Natal, obra conjunta de alunos e pais da nossa escola, já estão em exposição no átrio da ADCRAJ, onde permanecerão até ao dia 6 de janeiro de 2015, data em que serão divulgadas as decisões do júri.
Pegue na família e passe por lá, vai ver que vale a pena. É que há ali autênticas obras de arte.
.
 .
.
.
.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

A NOSSA FESTA DE NATAL!

.

 
.
 

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

FOI LINDA, A FESTA!

.
Uma festa, seja em que circunstância for, é sempre uma forma de comemorar, de enaltecer a vida. A Festa de Natal, talvez por todo o simbolismo que transporta, é uma festa diferente: mais sentida, mais interiorizada, é uma festa em que a harmonia tende a resgatar tudo aquilo que de melhor existe em nós.
Hoje, último dia de aulas, tivemos a nossa Festa. Foi linda, oh se foi, os alunos estiveram perfeitamente à altura do evento. Mas também os pais, que mandaram comida variada e abundante, as assistentes operacionais, que trataram de parte significativa da logística, as professoras Cláudia Bichinho e Raquel Belo, das AEC's de Inglês e Música, que estiveram irrepreensíveis, e, por fim, o dedo sempre atento dos professores das quatro turmas.
Numa festa há sempre diversas variáveis em equação: a organização, o desempenho, o ambiente geral... Porém, para lá de todas as avaliações, uma questão é fundamental: que o sorriso espontâneo aflore, que as pessoas se sintam de bem com a vida. E, por esse lado, a festa foi mesmo de Natal. Foi linda!
.
.
.
.
.
 .
.
.
.

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

OS AMIGOS, ESSA COISA PRECIOSA QUE TEMPERA A VIDA...

.
.
Não há vida que se preze que prescinda de amigos. Eles são, muitas vezes, o condimento que falta, a mão que ampara, o sorriso que ilumina, o ânimo que faz seguir em frente. Na sua ausência, e sem qualquer ponta de exagero, tudo fica mais opaco, mais cinzento, até o pão parece sem sabor. Há, pois, que cultivá-los como coisa preciosa.
Hoje, inesperadamente, recebemos alguns miminhos de pessoas que gostam da nossa escola, que acreditam na amizade, gestos simbólicos de quem gosta de partilhar, de dizer que está presente. Hoje, apesar do dia friorento, os amigos trouxeram-nos um calor inigualável.
.
As prendas, como é evidente, são para os nossos alunos fruirem no recreio e na biblioteca. Um imenso obrigado, amigos!
.
.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

PRIMEIROS SOCORROS COM A ENFERMEIRA SOFIA

.

.

O saber não ocupa lugar, todos nós sabemos isso e, quando se trata de cuidados com a saúde, quanto mais soubermos sobre o nosso corpo, melhor.
Às vezes, e para além das importantes medidas de prevenção, os acidentes acontecem. Quando já não se podem evitar, há que atuar.
Como agir após um acidente - hemorragias, ferimentos ligeiros, queimaduras, desmaios... - de forma a prestar os primeiros socorros?
Foi este o tema que nos levou a convidar a dedicada enfermeira Sofia, mãe do Afonso.
Fazendo-se acompanhar da caixa de primeiros socorros, a enfermeira Sofia interagiu com as nossas crianças cativando-as, desde logo, com a sua delicadeza e simpatia. Solidários na procura do saber e na partilha de situações já vividas, os nossos pequenotes, cúmplices da atuação da nossa convidada, envolveram-se na simulação de pequenos acidentes e entregaram-se aos cuidados da enfermeira Sofia que enriqueceu aprendizagens ensinando-lhes gestos e atitudes que fazem toda a diferença.
Com todo o gosto a receberemos de novo, pois a sua experiência e profissionalismo, a sensibilidade e a ternura de quem, acima de tudo, se entrega na ajuda aos outros enalteceram e valorizaram o objetivo da sua presença na nossa escola.
Muito obrigada, senhora enfermeira, e até à próxima sessão! :)
.
.

SÍMBOLOS DE NATAL

.
.
No edifício da ADCRAJ, local onde "habitam" as turmas dos 2.º e 4.º anos, os símbolos de Natal - a árvore e o presépio - fazem-se sentir desde o início de dezembro, dando um particular destaque à simplicidade, que é, no fundo, a grande mensagem natalícia.
.
.
Colocados em locais estratégicos, árvore e presépio vão deixando, subtilmente, a sua mensagem, legando sementes que se pretendem profíquas.
Símbolos de Natal, uma tácita pausa da humanidade em busca do que de melhor encerra em si...
.
.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

SÍMBOLOS, CRENÇAS, ENCANTAMENTOS...

.
O Natal, tempo de encantos vários, é o epicentro dos recomeços. 
Para as crianças é incontornável o apelo ao encantamento, ao maravilhoso, como se dispusessem das peças do puzzle da vida para o montar de  acordo com a sua visão das coisas, tão única e genuína. Para os adultos, já sem a mesma espontaneidade nas crenças, é uma espécie de pausa, de retemperança, dum mergulho em tradições que sentem ser importante perpetuar. E a escola, instituição de íntima ligação com a família, não se alheia do fenómeno, cultivando símbolos que sente serem importantes na promoção duma sociedade mais elevada: a paz, o amor, a partilha...
.
.
O presépio, na nossa escola, já tinha sido montado, faltava dar corpo à árvore. No edifício da ADCRAJ (turmas dos 2.º e 4.º anos) seguiu-se um rumo (ver um próximo post), as turmas dos 1.º e 3.º anos optaram por enfeitar a árvore alimentando a causa de tutores e tutorados.
.
 .
 E foi lindo de se ver. Aos pares (tutor e tutorado), os alunos dos dois anos foram dando cor à árvore, vendo-a ganhar, a pouco e pouco, a configuração do encantamento.
.
.
Algumas palavras e um cântico remataram a simbólica cerimónia, mais não era preciso. A boa semente apenas precisa de carinho.
.
.

UM BEIJO PARA O PAI NATAL

.
.
É Natal e é sempre com um enorme prazer que aceitamos partilhar um pouco deste espírito com as "meninas da Biblioteca"! Podemos mesmo dizer que já é tradição nossa!
Na história a que hoje assistimos, mais do que qualquer apetecível presente, importava voltar a trazer alegria e entusiasmo ao Pai Natal que se sentia muito triste desde que deixara de sonhar...  Não foi fácil animar o Pai Natal, e o Max fez de tudo um pouco oferecendo-lhe mimos, um presente, um truque de magia e até uma canção para o Pai Natal "abanar o capacete"... O Max bem se esforçou e até pediu ajuda ao público presente que contribuiu criando uma história só para ajudar o Pai Natal a sentir-se mais feliz! E, acreditem, que história!!! Não só o Pai Natal conseguiu voltar a sonhar, como até a Mãe Natal rejuvenesceu! :)
Bem, certo é que, de mão dada com este espírito natalício que já se faz sentir, há toda uma magia que nos encanta sempre que nos deslocamos à Biblioteca Eugénio de Andrade, pois o espaço enleva-nos transpondo as páginas dos livros, o tempo é intemporal, as personagens envolvem-nos nos seus enredos e, acreditem, oferecem-nos sempre o papel principal, sim,  pois somos nós que acabamos sempre por sonhar...
 
.
De todos nós, aqui vos deixamos um "livro" muito especial intitulado "Um beijo para as meninas da Biblioteca!"
Oh Oh Oh! Feliz Natal!
.
.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

III CONCURSO DE MINIATURAS DE ÁRVORES DE NATAL - EXPOSIÇÃO

.

.
 

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

QUEM EXPÕE O QUE TEM, ANSEIA MAIS ALÉM - A FORÇA DUMA COMUNIDADE EDUCATIVA

.
.
Hoje, último dia do prazo para entrega dos trabalhos concorrentes ao III Concurso de Miniaturas de Árvores de Natal, com recurso a materiais reutilizáveis, foi um momento de emoções diversas. Para lá do esforço dispendido para catalogar e fotografar cada um dos trabalhos (apareceram 64, é obra!), aguardava-nos ainda uma tarefa hercúlea: preparar o local da exposição, que hoje se iniciou na sede do Agrupamento de Escolas Gardunha e Xisto; transportar, com todo o cuidado, a maravilhosa arte forjada pelos nossos concorrentes; instalar todo o material; identificá-lo; colar uma ou outra peça que, entretanto, se soltou...
O esforço foi muito, é verdade, mas também a recompensa. Para além dos elogios que ouvimos no local, enaltecendo a qualidade dos trabalhos, o mais importante, para nós, foi sentir que a comunidade educativa de Aldeia de Joanes continua pujante, envolvida, interventiva, em suma, sente a sua escola como poucos. E isso é tanto!
Um forte bem-haja a todos pela envolvência revelada!
.
Os trabalhos estarão expostos na sede do Agrupamento até ao próximo dia 19, transitando depois para o átrio da ADCRAJ. Aí poderão ser apreciados até ao dia 6 de janeiro, data da cerimónia de entrega dos prémios.
.
.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

ÁRVORE DE NATAL - DA ESCOLA PARA A TWINTEX

.

.
. 

A ÁRVORE JÁ CHEGOU À TWINTEX

.
.
A árvore que fizemos para a Twintex, toda "almofadada", já seguiu para o seu destino.
Aqui fica um ar da sua graça. Não ficou linda?
.
.

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

ELAS CONTINUAM A CHEGAR, E LINDAS!

.
Algumas das árvores que já chegaram a bom porto
.
Com o aproximar da data limite para a entrega dos trabalhos para o III Concurso de Miniaturas de Árvores de Natal, o "tráfego" de árvores a circular em direção à nossa escola tem aumentado significativamente, num movimento que se deseja exemplar. Este fim de semana, contudo, promete ser bastante criativo em muitos lares, já que um leque considerável de pessoas assumiu a estratégia de aproveitar o bónus do feriado, à segunda-feira, para ultimar as suas obras. 
Que a inspiração, caprichosa senhora de múltiplas facetas, sorria a todos os concorrentes!
.
.

AGENDA

.

9/12 - Data limite para entrega dos trabalhos para o III Concurso de Miniaturas de Árvores de Natal
.
10/12 - Início da exposição das miniaturas de árvores na sede do Agrupamento
.
11/12 - Hora do Conto - Biblioteca Municipal Eugénio de Andrade (1.º e 3.º anos)
.
12/12 - Hora do Conto - Biblioteca Municipal Eugénio de Andrade (2.º e 4.º anos)
.
16/12 - Festa de Natal (último dia de aulas)
.
19/12 - Início da exposição das miniaturas de árvores no átrio da ADCRAJ
.
22/12 - Entrega das avaliações
.
05/01 - Início do 2.º Período
.
06/01 - Cerimónia de entrega dos prémios do III Concurso de Miniaturas de Árvores de Natal

.

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

A ENTREGA DOS TRABALHOS É A 7? NÃO, É A 9!

.
.
Não haja dúvida, no melhor pano pode cair a nódoa. Há tempos, quando enviámos para todos os encarregados de educação o regulamento do III Concurso de Miniaturas de Árvores de Natal, este, no ponto 5, referia que "os trabalhos deverão ser entregues na escola até ao dia 7 de dezembro". Pois bem, se essa data fosse para cumprir, as complicações seriam mais que muitas, pois o dia 7 é domingo. Como se vê, a nódoa não era nada pequena. :)
A data que tínhamos em mente, e que passa a vigorar, é a de 9 de dezembro, terça-feira, pois assim os retardatários poderão beneficiar, graças ao feriado do dia 8, de um fim de semana alargado.
Pedindo desculpa a todos os envolvidos, reforçamos a informação: os trabalhos poderão ser entregues até ao dia 9 de dezembro.
Aproveitamos para anunciar que, este ano, a exposição se fará em dois locais: 
.
10 a 19 de dezembro - Agrupamento de Escolas Gardunha e Xisto
19 de dezembro a 6 de janeiro - átrio da ADCRAJ
.
.

O PRESÉPIO, BERÇO DE SONHOS MIL

.
.
O ambiente natalício já se começa a fazer sentir na nossa escola. O presépio, normalmente a cargo da Teresa, já se encontra montado desde ontem, conferindo ao espaço envolvente uma aura muito especial.
Fica só a faltar a árvore mas, ao que nos segredaram, parece que ela já está a caminho.
O Natal, berço de ternuras e sonhos mil!
.
.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

SEMENTES DE NATAL

.
 .
A Twintex é uma empresa sedeada em Aldeia de Joanes e que, contrariando o panorama geral das nossas empresas, se tem mantido à tona de água e com fortes índices de sustentabilidade.
A empresa, nossa parceira em diversas atividades - nunca as suas portas se nos fecharam - desafiou-nos, pelo segundo ano consecutivo, a elaborarmos uma árvore de Natal feita com base em tecidos, usados na confeção das suas roupas, em exclusivo para grandes marcas do mercado internacional. E nós, amigos dos nossos amigos, aceitámos.
Um dia destes espreitámos duas das quatro turmas que, numa pausa de números e letras, se entregavam, com afinco, a "confecionar" a árvore. Palavra, quase parecia uma linha de montagem!
A árvore está quase pronta, bem "almofadada", faltam apenas os retoques finais, num processo que já ultrapassa os alunos. Eles, por agora, precisam é de se concentrar nas Fichas de Avaliação Sumativa, que já se fazem anunciar.
Esperamos, no final desta semana, entregar a árvore, a nossa sementinha de Natal para a Twintex. Eles merecem.

.
.

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

TUTORIAS

.
As ideias são caprichosas, surgem quando menos se espera. Esta, por acaso, até nem é nova, mas nunca tinha passado pelas redondezas. Inesperada, como todas elas são, eis que, de repente, a meio de uma conversa sobre responsabilidade e comportamentos adequados, ela se insinua, com o maior dos à vontades: e se os alunos mais velhos fossem tutores dos mais novos? Pode ser que eles acrescentem algo.
Já se sabe, quando uma ideia tem asas para voar, e desde que se lhe dê o impulso certo, ela voa mesmo. Foi o que aconteceu com esta, acabadinha de chegar de fresco.
.
.
Exposta a intenção aos alunos - basicamente, um aluno mais velho torna-se responsável por um mais novo, ajudando-o e aconselhando-o - estes aderiram de imediato, o que não é de estranhar. Quando se trata de novas ideias, não há melhor público que as crianças.
.
.
Colocados os pontos nos ii, muito bem colocadinhos, partiu-se para a fase seguinte: o sorteio dos alunos tutores e tutorados.
.
É escusado dizer que, enquanto o sorteio decorria, as emoções dos dois lados da "barricada" manifestavam-se em sentido crescente. 
.
.
No final, satisfeitas todas as expetativas, cada tutorado foi sentar-se ao lado do seu tutor. O momento, muito sentido por todos, foi aproveitado para reforçar o que se esperava desta iniciativa: a importância do papel de cada um, as responsabilidades inerentes às duas partes, com o maior foco a incidir sobre os mais velhos. Compreende-se o porquê.
.
.
A título de curiosidade, aqui fica a lista de tutores e tutorados.
.

.
A iniciativa é bem intencionada, mas só o futuro dirá se acrescentará algo àquilo que de bom já por aqui existe. Contudo, se atendermos aos primeiros sinais, os resultados anunciam-se prometedores. Não foi à toa que a Joana Augusto, quando regressou à sua sala, anunciou que tinha combinado que, no intervalo, ia brincar com a sua tutora, não foi por acaso que, depois do almoço, o Eduardo apareceu na sala do primeiro ano para saber qual era a mesa da Matilde, a sua tutorada...
.
.

BIOGRAFIA DO INFANTE D. HENRIQUE

.
Ilustração de Adriana Cruz - 4.º ano
.
O Infante D. Henrique nasceu no Porto, no dia 4 de março de 1394. Foi o quinto filho de D. João I e de D. Filipa de Lencastre.
Ficou conhecido pela sua coragem, energia e iniciativa, mas também pela sua obstinação e teimosia. Dedicou a sua vida à campanha marítima, foi o grande impulsionador dos descobrimentos e, por isso, ficou conhecido como Infante de Sagres ou Navegador.
Acompanhou várias conquistas e descobertas e sob o seu comando, foram descobertas novas terras: em 1415 atacou e conquistou Ceuta; entre 1419 e 1420, João Gonçalves Zarco e Tristão Vaz Teixeira descobriram o arquipélago da Madeira; em 1427, Gonçalo Velho descobriu o arquipélago dos Açores; em 1434, Gil Eanes dobrou o Cabo Bojador; em 1460 foi descoberta a Serra Leoa.
Era uma pessoa com um caráter muito religioso. Foi «protetor» da Universidade de Lisboa, em especial do curso de Teologia.
O Infante D. Henrique morreu no dia 13 de novembro de 1460.
.
Ilustração de Dinis Monteiro - 4.º ano
.
Turma do 4.º ano - trabalho coletivo
.
.

A NUMERAÇÃO ROMANA

.
Os números, tal como as letras, não existem desde sempre. Ao longo da História, as pessoas foram inventando diferentes símbolos para representarem os números. Diversas civilizações da Antiguidade desenvolveram os seus próprios sistemas de numeração. Alguns deles deixaram vestígios, apesar de terem sido abandonados.
.
 .
É o caso da numeração romana que pode ser observada nos mostradores dos relógios, na indicação de datas, séculos, nos nomes dos reis e papas, nos capítulos dos livros...
.
 .
Os alunos do 3.º ano construíram um pequeno exército romano, não para treinarem qualquer espécie de estratégia militar (calma! :), mas para praticarem de forma lúdica a representação de números utilizando a numeração romana.

Este pequeno grupo de soldados apresentou-se ao serviço para representar, em
numeração romana, o ano em que estamos. :) 
.

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

GUARDIÕES DA GARDUNHA - 2

.
.
Ontem, durante a tarde, decorreu na nossa escola mais uma sessão relacionada com a rubrica "Guardiões da Gardunha". Desta vez, Sandra Leitão fez-se acompanhar de Vera Roque e muito traziam para contar e encantar...
Trajada a rigor, Vera Roque entrou na sala como D. Mafalda de Saboia, a esposa do primeiro rei de Portugal, D. Afonso Henriques. Os alunos retrocederam no tempo, indo ao encontro de memórias do século XII que retratavam a época de reis e rainhas... Muito trazia para partilhar, muito contou sobre a vida quotidiana daquela época e muitas foram também as curiosidades do público presente!
Para além dessa cativante apresentação, também nos contemplaram com a dramatização de duas lendas: "A Lenda da Gardunha" e a "Lenda da Aldeia Histórica de Castelo Novo".
Mais uma vez, e como já aqui foi dito, importa conhecer o meio que nos envolve e as lendas, se para alguns são meras narrativas fantasiosas repassadas oralmente de geração em geração, para outros são "os livros da memória dos mais sábios".
.
.
Esperemos que, entre outras versões que possam explicar a origem da palavra "Gardunha", os nossos alunos "guardem", também eles, estes saberes na sua memória e continuem a transmiti-los e a valorizá-los.
.
.
 

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

ABRIR PORTAS PARA UMA NOVA DIMENSÃO

.
.
Há etapas da nossa vida que, pelas portas que permitem abrir, nos marcam para sempre. É o caso da aprendizagem da leitura e da escrita, momento dum enorme significado na vida de cada um. A partir daí nada mais será igual, o mundo ganha outro colorido, outra dimensão.
Os nossos caloiros, com o entusiasmo próprio dos seis anitos, vão dando conta do recado, embora ainda de forma titubeante. A cada dia que passa, contudo, vão ficando mais confiantes e, um dia destes, ah, um dia destes, podem ter a certeza que a maioria deles vai começar a chilrear como passarinhos ao desafio. Palavra de mestre mocho.
.
.

terça-feira, 25 de novembro de 2014

COMO FUNCIONAM OS MOVIMENTOS RESPIRATÓRIOS?


De há algumas aulas para cá, os alunos do 3.º ano têm vindo a conhecer como funciona o corpo humano.
Desde as células, tecidos, órgãos que formam os vários sistemas, ao organismo, eles têm ingerido e digerido informação, circulado por diversas vias de aprendizagem, respirado vocabulário, expulsado dúvidas e reproduzido experimentalmente alguma dessa "mecânica" da interiorização dos conhecimentos.
Durante o estudo do sistema respiratório, uma das experiências propostas à turma foi a criação de um simulador para poderem observar os pulmões durante os movimentos respiratórios.
.
.
E antes que a atividade fosse realizada na sala de aula, já a Margarida, com a ajuda do pai, a tinha colocado em prática. Trouxe então o pequeno simulador para a escola e, na sua apresentação, exemplificou os dois movimentos que ocorrem na respiração:
.
Inspiração (entrada de ar nos pulmões).

Expiração (saída de ar dos pulmões).
 
Um outro aspeto observado foi também a importância do diafragma, que contrai na inspiração e relaxa na expiração (tal como ilucida o pequeno vídeo abaixo), auxiliando assim o processo da respiração.
Muito bem, Margarida!
.


 

.