sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

SERÁ POSSÍVEL SIMULAR O CICLO DA ÁGUA?

.
.
.

REGISTO - SERÁ POSSÍVEL SIMULAR O CICLO DA ÁGUA?


.
Registo escrito: Bernardo Martins - 4.º ano
.

NOVAS ATIVIDADES

.
.
Todos os anos, quando elaboramos o nosso PAA (Plano Anual de Atividades), documento orientador da escola que visa acrescentar algo aos currículos instituídos, fazêmo-lo sem folgas, tendo sempre em conta o nosso limite. Contudo, no decorrer do ano, as solicitações por parte de outras entidades são tantas que, por vezes, é quase impossível dizer não, mais a mais quando os desafios parecem ser uma mais valia para a educação dos nossos alunos.
Assim, tendo em conta os novos desenvolvimentos, as nossas quatro turmas irão estar envolvidas nas seguintes atividades:
- Turma 17 (1.º ano) - aulas de ioga (Associação Pais em Rede);
- Turma 18 (2.º ano) - aulas de natação (Projeto Fundão a nadar);
- Turma 19 (3.º ano) - "A Física dos Sonhos" (Projeto Ilídio Pinho);
- Turma 20 (4.º ano) - aulas de natação (Projeto Fundão a nadar).
A vida, é nossa convicção, só tem sentido se soubermos contrariar a estagnação. Esperemos, pois, que estas novas atividades possam acrescentar algo ao desenvolvimento dos nossos alunos.
.
.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

O BEIJO DA PALAVRINHA

.
As palavras têm o dom de despoletar os mais variados sentimentos, de nos transportar para as mais diversas viagens, de nos fazerem sonhar... 
As palavras são mágicas e é este poder das palavras, expresso (também) pelas magníficas ilustrações de Danuta Wojciechowska, que Mia Couto abraçou  no livro "O Beijo da Palavrinha". Neste caso concreto, só a palavra "mar" tinha o poder de curar Maria Poeirinha. E Zeca Zonzo, o seu irmão, encontrou uma forma de a levar a conhecer o mar. E esta palavrinha beijou Maria Poeirinha...
Na impossibilidade (imediata, claro! :) de levar a turma do 4.º ano a ver o mar, também na sala de aula arranjámos forma de o mar se azular no papel e na poesia. Desejando que as ondas de criatividade banhassem os alunos, eles lá se aventuraram, mergulhando e chapinhando a gosto.
A título de exemplo, aqui deixamos alguns dos trabalhos produzidos.


................................Se eu pudesse...
. .................................sonhava com o mar
 ................................... .seria sereia para tesouros encontrar
 ... ....................................descobria peixes, algas, corais,
...........................................conchas, búzios, pérolas e outros mais
...............................................encantava os marinheiros e ouvia-os cantar
...................................................nadava e mergulhava no azul profundo do mar
......................................................acompanhava os peixes no seu chapinhar
.........................................................com os golfinhos aprendia a brincar
............................................................seria cavalo-marinho para cavalgar
...............................................................e abraçar o meu amor nas ondas do mar...
.
Poesia e ilustração: Daniela Mendes - 4.º ano
.
Guilherme Duarte - 4.º ano
.
O mar é...
....maroto como um garoto
....malandro como o Sandro
....maravilhoso e orgulhoso
....monstruoso e sumptuoso
....mágico e, por vezes, trágico
....monumental e espiritual
....majestoso mas perigoso
....magnífico e pacífico
....malvado e estimado
....magistral e divinal...
.
Poesia: Afonso Carrasco - 4.º ano
.
 
Margarida Matos - 4.º ano
.

sábado, 6 de fevereiro de 2016

O PRIMEIRO VOO

.
Título: First Flight (O primeiro voo)
Realização: Cameron Hood e Kyle Jefferson
Avaliação: Belíssimo.
.

.
.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

É CARNAVAL!

.
.
.

MÁSCARAS, MASCARÕES E OUTROS FIGURÕES

.
Afonso Figueiredo - 3.º ano
.

Afonso Silveira - 3.º ano
.

Ana Gomes - 3.º ano
.
Mafalda Correia - 3.º ano
.
.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

PALHAÇOS, PALHAÇAS E PALHACINHOS!

.
Joana Agostinho - 4.º ano

Mariana Martins - 4.º ano

Alexandra Abrantes - 4.º ano
.
Eduardo Lopes - 4.º ano
.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

ADOTE UM AMIGO

.
.
Os animais de companhia são, cada vez mais, uma realidade na sociedade em que vivemos. Por diversas razões. Pondo de lado essa questão, que agora não vem ao caso, a verdade é que, na sua grande maioria, por isto ou por aquilo, a preferência das pessoas se centra nos cães e  nos gatos.
Os animais que a maioria dos nossos alunos têm em casa enquadram-se nesta realidade. E foi precisamente devido a isso que esta terça-feira, segundo dia de fevereiro, tivemos a visita do Dr. Gustavo Duarte, veterinário municipal, que nos trouxe algumas dicas sobre a melhor forma de lidarmos com os nossos amigos de quatro patas.
A educação, higiene, respeito e cuidados a ter com o animal foram vertentes que mereceram um enfoque especial por parte do nosso convidado. E o Dr. Gustavo foi de tal forma assertivo que, no final (a premência do tempo, sempre...) tivemos que cortar a onda de infindáveis questões solicitadas pelos nossos alunos que, entre dúvidas e relatos de experiências próprias, evidenciaram ter absorvido o que se pretendia da palestra.
Ah, já agora: se quiser adotar um animal, o canil municipal tem uma grande quantidade de candidatos aos seus mimos. Com a certeza de que eles, os mimos, serão retribuídos.
.
.

FRACIONAR

.
.
Quando uma criança, à medida que cresce, começa a arrumar informação no seu cérebro, as coisas só fazem sentido se forem muito definidas, muito concretas. A pouco e pouco, porém, a mente vai ganhando lastro, dando azo à introdução, gradual, de conceitos mais alargados, que permitam a expansão da compreensão das coisas.
A turma do 2.º ano tem andado, nos últimos dias, a "espreitar" o mundo das frações. São conceitos ainda básicos, a exigir muita concretização, mas o clique da compreensão parece já ter sido acionado na maioria dos intervenientes. E conceitos como um meioum terço, um quarto, começaram já a entrar no seu vocabulário, sem qualquer entrave, abrindo janelas para posteriores explorações.
A vida, é bem certo, é feita de constantes aprendizagens. E saber fracionar, na teoria e na prática, faz parte das muitas competências exigidas para a sua compreensão.
.
.