sábado, 20 de junho de 2015

BOAS FÉRIAS

.
.
Por aqui é assim. Os anos sucedem-se, mas a intensidade, temperada com a preocupação das coisas bem feitas, não diminui. A formação dos nossos alunos é constante prioridade, nós sabemos muito bem que a eficácia se alimenta do trabalho do dia a dia, onde a preocupação, a planificação e o empenho são ingredientes indispensáveis. Ah, e com uma grande dose de humanismo, onde cabem todos os afetos, sem eles nada feito.
Quando, finalmente, chega o tempo de retemperar as forças, a sensação de dever cumprido é deveras gratificante, não existe melhor recompensa.
O reencontro, com saudades por saciar e novos alunos para deslumbrar, fica marcado para setembro. Até lá,
.
BOAS FÉRIAS!
.
.

terça-feira, 16 de junho de 2015

FINAL DO ANO LETIVO

.
.

sábado, 13 de junho de 2015

HOMENAGEM A EUGÉNIO DE ANDRADE E À BIBLIOTECA MUNICIPAL

.
De forma a assinalar o décimo aniversário da morte do poeta Eugénio de Andrade (19 de janeiro de 1923 - 13 de junho de 2005), natural da Póvoa da Atalaia e uma das mais representativas vozes poéticas que nos anos 40 se afirma na literatura portuguesa, a Biblioteca Municipal do Fundão desafiou os seus utentes a participar num concurso de trabalhos sobre poemas inseridos na obra "Aquela nuvem e Outras" (1986). A nossa escola aceitou o repto e concorremos com dois trabalhos que já foram entregues na Biblioteca. Um baseado no poema "Andanças do poeta", e outro inspirado nos poemas "Verão", "Aquela nuvem", "Canção da Leonoreta" e "Canção da Joaninha".  
Fica, mais uma vez, o sentido de dever cumprido, quer pelo gosto de colaborar com quem sempre nos tratou de forma exemplar, como também pela importância deste evento, homenageando este grande escritor que se insere na tradição de poetas artesãos, estatuto que explicitamente para si mesmo reivindica: "Não sou poeta inspirado, o poema é em mim conquistado sílaba a sílaba".
Deixamos também os nossos sinceros parabéns à Biblioteca Municipal Eugénio de Andrade por este ano comemorar também 10 anos de existência. São, sem dúvida, dez anos de um trabalho exemplar, sempre realizado com muito gosto, profissionalismo e simpatia, a servir, a educar, a motivar e a sensibilizar os seus utentes para o prazer de ler, para a arte da escrita, deliciando-nos, tantas vezes, com a magia da Hora do Conto. Parabéns!
.
Poema "Andanças do poeta"

Poemas "Canção da Borboleta", "Canção da Joaninha",
 "Verão" e "Aquela nuvem"
.

sexta-feira, 12 de junho de 2015

VISITA DE ESTUDO - DE ALDEIA DE JOANES AO PORTO

.
.

LEITORES DO TRIMESTRE

.
Um livro piscou-me o olho
Outros vieram espreitar
Disse que sim ao desafio
Às vezes penso, outras rio
Sem nunca deixar de sonhar.
AC

.
Mais um ano que passa, pleno de intensidade, a pedir balanços e reflexões. E, nestas coisas de cativar novos leitores, as interrogações são permanentes. Seja como for, uma coisa é certa: eles gostam de ser premiados, de ser distinguidos pelo esforço. Quanto a nós, o que mais nos interessa é que eles leiam, que se deixem amarrar, cada vez mais, pelo poder sedutor dos livros. O resto virá por acréscimo.
Dito isto, passemos às distinções. No final deste trimestre, os leitores que se destacaram, nas diversas turmas, foram:
.
1.º ano
.
Leitor do Trimestre (oferta de um livro)
Beatriz Ribeiro Marques
.
Menções Honrosas (Diploma)
Alan Dinis Afonso Galante
Matilde Nunes Saraiva
Hugo Miguel Arribança Oliveira
Nádia Ribeiro Pereira
Lara de Castro Rocha Faria
.
2.º ano
 .
Leitor do Trimestre (oferta de um livro)
Maria João da Silva Marques
.
Menções Honrosas (Diploma)
Mafalda Sofia Silva Correia
Maria dos Reis São Pedro
Joana Taborda Félix
João Afonso Coelho Félix
.
3.ºano
 .
Leitor do Trimestre (oferta de um livro)
Filipa Alexandra Pereira Ramos Carvalho
.
Menções Honrosas (Diploma)
Tomás Melo Bento de Matos
Eduardo dos Reis Lopes
Alexandre Oliveira Bento
Miguel Ribeiro de Oliveira

4.º ano
.
Leitor do Trimestre (oferta de um livro)
Juliana Marques Oliveira
.
Menções Honrosas (Diploma)
Beatriz Pires Manique
Fabiana Robalo Sanches
Camila Mascate Leitão Martins Amaral
Laura Veríssimo Clemente
.
Parabéns a todos os leitores, independentemente de terem sido, ou não, premiados. É que ler, só por si, já é enorme recompensa.
Para o ano cá estaremos, com a mesma vontade de sempre. Para todos boas férias e... boas leituras!
.
.

IDA À ESCOLA SERRA DA GARDUNHA

.
.
Tudo começou no dia 9 de junho, pelas 10 h, quando começámos a caminhar para visitar a Escola Serra da Gardunha, para onde eu vou para o ano.
Quando lá chegámos, entrámos e tirámos uma fotografia. 
.
.
Começámos por ver a papelaria, onde podemos comprar material escolar. A seguir fomos à biblioteca, e lá ofereceram-nos marcadores.
.
.
Depois fomos ao pavilhão ver uns meninos a jogar badmington e pudemos experimentar.
.
 .
A seguir fomos jogar à bola com as miúdas do 7.º ano. Primeiro perdemos 0 - 1, depois ganhámos 2 - 1.
.
.
De seguida fomos para o intervalo...
.
.
...e pouco tempo depois fomos almoçar: sopa, pão, esparguete com carne, água e, de sobremesa, cerejas.
Quando vínhamos embora o meu pai apareceu e mostrou-nos algumas salas. Depois disso viemo-nos embora.
Adorei a visita àquela escola.
.
Texto: Rodrigo Pereira - 4.º ano
.
.

quinta-feira, 11 de junho de 2015

VISITA DE ESTUDO AO PORTO

.
.
As turmas de Aldeia de Joanes foram no dia 5 de junho a uma visita de estudo ao Porto.
Fomos tomar o pequeno almoço e depois fomos ver a cidade. Fizemos a visita panorâmica da cidade e vimos a Torre dos Clérigos, a Câmara Municipal, o rio Douro e a ponte D. Luís.
Fomos almoçar ao Parque da Cidade e depois fomos ao Sea Life, onde vimos tubarões, raias, tartarugas, peixes pedra...
As raias estavam a tentar comer os peixes pedra.
Depois fomos lanchar e depois fomos para Aldeia de Joanes.
Eu gostei muito!
.
Texto: Mateus Rocha - 2.º ano
.
.

A VISITA DE ESTUDO

.

Na sexta-feira passada, a nossa escola realizou uma visita de estudo ao Porto.
Juntámo-nos na escola às 7:15 e depois de todos termos chegado arrancámos ansiosos por chegar ao Porto.
Durante a viagem, alguns meninos ouviram música, jogaram PSP, outros conversaram...
Fizemos a primeira paragem na estação de serviço de Vouzela onde tomámos o pequeno-almoço e onde alguns meninos ainda fizeram uns jogos esquisitos com as mãos.
Voltámos ao autocarro para continuarmos a viagem e alguns meninos tiraram fotografias, outros apreciaram a paisagem e também vimos um filme chamado "Pular a cerca". Houve também quem preferisse dormir um pouco!
Chegámos ao Porto e fizemos uma visita panorâmica. Vimos muitos monumentos importantes, como a Torre dos Clérigos, estátuas, muralhas; vimos a ponte da Arrábida e atravessámos a ponte D. Luís e a ponte do Freixo; o rio Douro é gigante e até vimos barcos onde as pessoas andavam a passear...
O tempo passou e fomos almoçar ao Parque da Cidade. Almoçámos e brincámos muito.
Quando íamos para o Sea Life, os meus avós apareceram e quando os vi dei-lhes cem abraços. Depois despedi-me dos meus avós e fomos visitar o Sea Life.
Quando entrámos no Sea Life, apareceu uma senhora que nos disse que durante a visita tínhamos que respeitar três regras: não fazer barulho, não bater nos vidros e não meter as mãos na água. Entrámos no aquário e vimos muitos animais! O tubarão, o peixe-balão, raias, a estrela-do-mar, o camaleão, o caimão, e tantos, tantos mais! Tirámos muitos fotografias! Foi espetacular! À saída havia uma loja onde comprámos lembranças.
Depois fomos para o autocarro e brincámos com as nossas lembranças. Estávamos muito felizes!
Voltámos a parar na estação de serviço de Viseu, onde lanchámos, comemos um gelado e brincámos.
Passado algum tempo, chegámos a Aldeia de Joanes, cansados mas contentes!
.
Texto: Afonso Carrasco - 3.º ano
Ilustração: Ariana Tinalhas - 3.º ano
.
.

CONCERTO - CONVITE

.
.
.

quarta-feira, 10 de junho de 2015

LÂMPADA DE LAVA

.
 .
O prof. Paulo Rosário, pai do Rodrigo, trouxe a ciência à turma do 4.º ano.
.
 .
Pegou em materiais que todos podemos ter em casa e fez uma lâmpada de lava.
.
 .
 .
Enquanto deixamos repousar, o prof. Paulo pôs a água a arder. Ficamos boquiabertos!
.
 .
Explicou-nos então que tinha misturado um bocadinho de líquido usado para os isqueiros, o que originou a combustão.
.
 .
Assim que consumiu todo o líquido o fogo apagou, porque a água não arde.
.
.
Fernanda Soares
.
.